Comunicado importante

A Sobrag informa que os cursos de Grafologia, de 16 horas, apenas possuem teor informativo sobre a técnica; não capacitam o aluno à prática da Grafologia.

A Sobrag esclarece que não tem como objetivo a finalidade de dar reconhecimento para Grafólogos.

CÓDIGO BRASILEIRO DE ÉTICA DO GRAFÓLOGO

O presente Código, que consta de 12 artigos, entrou em vigor em Julho de 2006.

Objetivo: Estabelecer os direitos e deveres do Grafólogo no exercício profissional.

1º. - Grafologia uma ciência da área de Humanas que, ao utilizar-se de técnicas de observação e interpretação, estuda a personalidade através da análise de um manuscrito.

2º. - O grafólogo deve trabalhar exclusivamente com manuscritos originais, realizando um trabalho de análise (identificação das características da escrita) seguida de uma síntese (descrevendo as características da personalidade do autor da escrita).

3º. - Devido à constante evolução da Grafologia como ciência, o grafólogo deve atualizar-se continuamente quanto a seus conhecimentos e capacitação profissional.

4º. - O grafólogo não fará diagnósticos de natureza médica.

5º. - O grafólogo não praticará a grafotécnica (estudo da autenticidade de documentos manuscritos).

6º. - O grafólogo é responsável pela qualidade de suas conclusões baseadas na análise de um manuscrito, fornecendo informações a respeito de determinada personalidade, baseando-se, exclusivamente, na análise de manuscritos. Quaisquer ações eventualmente decorrentes destas informações são de inteira responsabilidade do solicitante da avaliação grafológica.

7º. - O grafólogo manterá estrita confidencialidade, por qualquer que seja o meio de comunicação, quanto às informações que obteve a respeito das pessoas cujos manuscritos foram por ele analisados. O segredo profissional deve ser observado tanto verbalmente quanto pelos documentos gerados.

8º. - O grafólogo será objetivo e ético em todas as suas análises profissionais. Não deve mencionar as características pessoais que não estiverem diretamente ligadas com as funções definidas pelo empregador e/ou seus representantes constituídos toda vez que estas informações possam influenciar decisões relativas a admissões, demissões, promoções profissionais.

9º. - O grafólogo deve manter sua integridade profissional não se deixando influenciar, nas suas conclusões, por preferências ou desejos específicos (velados ou claramente expostos) pelo solicitante da avaliação, pela pessoa que está sendo avaliada ou por qualquer outra pessoa ou entidade.

10º. - O grafólogo não pode associar-se ao ocultismo ou à adivinhação, nem deve permitir que a grafologia e/ou a profissão do grafólogo sejam mencionadas, por qualquer que seja o meio de comunicação, relacionadas a tais atividades.

11º. - O grafólogo deve agir com completa isenção de qualquer tipo de discriminação como sexual, religiosa, de cor e raça.

12º. - A Sobrag fará todo o possível, dentro das leis vigentes, para que este Código de Ética seja praticado pelos seus associados e aqueles que, no mercado em geral, realizam os trabalhos de um grafólogo.