Comunicado importante

A Sobrag informa que os cursos de Grafologia, de 16 horas, apenas possuem teor informativo sobre a técnica; não capacitam o aluno à prática da Grafologia.

A Sobrag esclarece que não tem como objetivo a finalidade de dar reconhecimento para Grafólogos.

NASCIMENTO DA SOBRAG

Em março de 1977, realizou-se reunião preliminar onde vários interessados se fizeram presentes. A seguir, em ordem de data, um rápido apanhado das demais reuniões.

Em maio de 1977: reunião com o objetivo de lançar as bases de uma entidade destinada a difundir o estudo da grafologia no Brasil. Foi eleita uma Comissão organizadora composta de três membros com a incumbência de estruturar a entidade.

Em julho de 1977: nesse encontro, Dra. Odette Serpa Loevy ofereceu sua residência como sede provisória da SOBRAG. D. Dora Papaterra Limongi conseguiu que a família da Sra. Carmen Benedita Ferraz de Souza, conceituada grafóloga já falecida, doasse à Sociedade Brasileira de Grafologia – SOBRAG, os livros especializados em grafologia que pertenceram àquela senhora, o que deu nascimento à biblioteca da entidade com 32 volumes. Entre eles: J. Crepieux-Jamin, E.Caille, H.J. Jacoby, L. Klages, M. Pulver, E. Singer, R. Le Senne, R. Saudek, A. Teillard e outros. O sr. Fernando S. Machado doou um volume de G. Vian; Vittorio Campagnani um dos raríssimos anais do “Congrès International dês Sciences de L’Écriture”, realizado em Paris, em maio de 1900.

Em agosto de 1977: aprovação da Ata de reunião da Fundação da SOBRAG.

Aos 11 de agosto de 1977: Assembléia da SOBRAG, atendendo ao convencionado nas reuniões prévias, para o fim especial da discussão e votação do projeto de Estatuto desta Sociedade, apresentada pela Comissão de redação, bem como para a eleição da Diretoria e Conselho Fiscal. A Diretoria eleita ficou assim constituída pelos sócios fundadores:

PRESIDENTE: Dr. Júlio de Gouveia (Médico Psiquiatra)

VICE-PRESIDENTE: D. Odette Serpa Loevy (Grafóloga)

DIRETOR AJUNTO: Prof. Juan Alfredo César Muller (Psicólogo)

DIRETOR TESOUREIRO: D. Dora Papaterra Limongi (Grafóloga)

DIRETOR SECRETÁRIO: D. HeloísaAlves da Motta (Grafóloga)

E Conselho Fiscal de Sócios Fundadores:

Dr. Ary de Souza Barros (Advogado)

Sr. Frederido Demétrio (Grafotécnico)

D. Geni Villas-Boas Faria (Grafóloga)

Suplentes de Sócios Fundadores:

D. Bernadete Arruda (Jornalista)

Sócios Fundadores fora da Sede de São Paulo:

Dra. Bettina Katenstein (Psicóloga e Grafóloga)

Sr. Vittorio Campagnani (Grafólogo e Perito em Exame de Documentos)

 
HISTÓRICO DA SOBRAG

Em 1974, Odette Serpa Loevy (que foi aluna da Dra. Rose Mehlich, que foi assistente de Max Pulver), passou a ministrar – em sua residência, em São Paulo – cursos particulares de introdução à grafologia. Após esses cursos, formou-se pequeno grupo de pessoas interessadas em difundir e aplicar, profissionalmente, os conhecimentos grafológicos adquiridos.

Com a finalidade primeira de ver, no Brasil, a grafologia reconhecida como ciência que realmente é, esse grupo dirigiu seus esforços no sentido de fundar entidade legalmente registrada, que funcionasse sob a liderança de elementos de alto nível.

Com a criação de tal entidade, propunha-se, ainda, agrupar elementos que se dedicassem à grafologia e a grafotecnia em nosso País, procurando também promover ativo intercâmbio de estudos e pesquisas.

Neste ponto cabe tecer rápido comentário a respeito de como é vista a grafologia no Brasil. Uma faixa limitada de pessoas, principalmente de formação universitária a conhecem e a valorizam.

A grande maioria, entretanto, não têm dela o menor conhecimento e alguns, principalmente jovens, sentem-se atraídos pelas “análises” feitas por computadores (geralmente instalados nos Shopping Centers) ou em revistas e jornais.

Desejando difundir a grafologia, esse grupo prosseguiu em seu trabalho proferindo palestras e conferências, publicando alguns artigos em jornais, principalmente editados em São Paulo e Rio de Janeiro. A par disso foram feitos alguns contatos com entidades que congregam grafólogos em diferentes países, como: França, Inglaterra, Espanha, Itália e Argentina. Em recente viagem ao exterior da autora deste artigo foi aceita como correspondente, para o Brasil, pelo Conselho da “Société Française de Graphologie”..